About Us

MOVE arised upon a decade ago, by the desire of former art students from the University of Madeira Island (UMa) to increase culture in the city through several cultural actions with the purpose to promote the intervention and reflection about the most varied forms of art into the urban space.

Filipa Jasmins Freitas and Fábio Teles were responsible for the development of the project, then presented as “Movimento de Vontade de Expressão”, which aimed to challenge creatives from different areas of artistic expression to bring together ideas and projects, encouraging the production of independent artistic work, making it accessible to the public through the establishment of a direct relationship between artistic practice and its enjoyment

As cultural agents, they considered urban cultural dynamism to be urgent and decisive through new contemporary and diversified approaches focusing on regional artistic production, valuing and validating it, as well as boosting their opening to new emerging national and international artistic markets.

2008

The movement opens with a public appearance within the scope of the Celebrations of the 500 Years of Funchal city, together with Edicarte, where it publicly debuts, on the central plate of Avenida Arriaga, for a period of 30 days, the installation arts entitled ”Stop" by Filipa Freitas, “Labirinto” by Sofia Fernandes and “Espelhos” by Filipe António.

2010

With its solidified concept, MOVE organizes a collective exhibition, held at the Colégio dos Jesuítas - UMa, which brought together 13 young regional artists, in a symbiosis of works that diversified between painting, sculpture and installation art.

2013

At the invitation of Edicarte, the Municipality of Funchal and the University of Madeira island, MOVE starts a partnership in order to develop a concept for the organization of a public art exhibition to be included in the Funchal Culture Festivals. The event had the participation of several artists who, one morning, developed the artistic practice live, having created a unique moment and seldom observed in the regional context: the production and enjoyment of the work simultaneously.

2015

In partnership with NOS Summer Opening 2015, MOVE promotes, in Parque de Santa Catarina, the Creative Installation Art Contest that involved artists from different intervention areas. It was a pilot project for urban innovation, which aimed to enable creative people to generate solutions, innovative projects that transform and enhance spaces and parks in Funchal city.

2020

MOVE ceases to be a movement and becomes the Association, adopting the name MOVE - Cultural, Creative and Artistic Association of Madeira.

A non-profit association whose main object is the creation, dissemination of creative projects and events aimed at enhancing creative expression and material and immaterial heritage.

Its founding members are several people professionally and academically linked to the most varied forms of art in the Autonomous Region of Madeira, from dance to creative arts such as painting and sculpture, to the direction of artists linked to theater and interventions in space. public, associated with the tourist poster of Madeira.

A MOVE tem o objetivo claro desenvolver, ao longo destes 4 anos e até 2024, protocolos com polos criativos e sociais bem como com as Câmaras Municipais da região, com o intuito de desenvolver projetos que potenciem o talento criativo e a Cultura das cidades e vilas da nossa região.

2022

A MOVE inicia um protocolo com a Secretaria Regional da Cultura, de forma a desenvolver o projeto ARTWALK, que na primeira edição irá contar com a homenagem ao escultor / criativo Maruricio Fernandes.

Esta esposição | Instalação Itenerante conta com a participação de vários artistas regionais, convidados , a desenvolver uma peça para homenagear Mauricio Fernandes.

ARTWALK – Irá percorrer 8 concelhos da Região Autonoma da Madeira até 31 de Dezembro de 2023

2022

A MOVE inicia um protocolo com a Secretaria Regional da Cultura, de forma a desenvolver o projeto ARTWALK, que na primeira edição irá contar com a homenagem ao escultor / criativo Maruricio Fernandes.

Esta esposição | Instalação Itenerante conta com a participação de vários artistas regionais, convidados , a desenvolver uma peça para homenagear Mauricio Fernandes.

ARTWALK – Irá percorrer 8 concelhos da Região Autonoma da Madeira até 31 de Dezembro de 2023

2023

Tivemos um ano com 2 apresentações distintas, a primeira aconteceu durante 1 mês, entre 28 de abril e 28 de maio, intitulada Flowers of war com direção criativa de Filipa Jasmins Freitas. Flowers of War foi uma instalação que integrou as festividade da Festa da Flor do Concelho de Santa Cruz.

Colours in The Dark foi o 2º projeto de produção da MOVE e tambem com direção criativa de Filipa Jasmins Freitas. Esta foi a 1ª Mostra de Instalações artisticas_Funchal 2023 que aconteceu entre os dias 25, 26 e 27 de agosto nos Jardins da Quinta Mágnólia.

Gallery

Funchal, 2008 - Commemoration 500 years - Installation art “Visões”

See more

Press

5 SENTIDOS 26 ago 2023 16:510

https://www.dnoticias.pt/2023/8/26/372954-colours-in-the-dark-e-projecto-inovador/

‘Colours in the Dark’ é projecto inovador

Eduardo Jesus visitou primeira mostra de instalações artísticas promovida pela Associação Move e que tem direcção artística de Filipa Jasmins Freitas

None

“Colours in the Dark” está a fazer “história na oferta cultural da Madeira”. O Secretário Regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, presente na inauguração da 1ª Mostra de Instalações Artísticas – Funchal 2023, promovida pela Associação Move com conceito e direção artística de Filipa Jasmins Freitas enalteceu “a qualidade e dinâmica” da nova proposta artística que abriu na última sexta e que decorre até este domingo, entre as 20 e as 00 horas, com entrada livre, nos jardins da Quinta Magnólia.

“Colours in the Dark” é um projeto em forma de mostra, com várias instalações de um coletivo de vários artistas plásticos e de vídeo e a sua ligação com a luz e a sombra. Foi criada para mostrar novas formas de apresentar instalações de grande formato destinadas à valorização e fruição da expressão plástica.

A mostra é constituída por cinco áreas de exposição e de instalações artísticas distintas, que surgem depois num todo de composição visual no espaço, brincando com a escala e a quietude do lugar onde se destaca a beleza da natureza usando a luz e diferentes formas de representação. Segundo refere a organização: “os artistas irão desenvolver os seus trabalhos, numa perspetiva de interação com o público, desenvolvendo competências na área tecnológica de forma a captar a participação e atenção dos visitantes, para uma nova forma de apresentação de arte no espaço público”. 

None

O Secretário Regional de Turismo e Cultura começou por sublinhar “a inovação que representa este projeto”. Eduardo Jesus enalteceu o conceito trazido pela Associação Move à Quinta Magnólia que permite que no horário noturno se possa apreciar instalações artísticas de uma forma diferente do habitual “neste espaço que é magnífico e que é se presta a tantas manifestações”, acrescentando que, “nunca tinha acolhido nada igual a esta mostra”. Eduardo Jesus felicitou a Associação Move e Filipa Jasmins Freitas “pelo arrojo, pela coragem e, acima de tudo, pela determinação” e também a todos os artistas associados: Hernando Urrutia, Evangelina Sirgado de Sousa, Diana Serrão, projeto Glitch, aos alunos do programa videográfico da Licenciatura em Artes Visuais da Universidade da Madeira que trouxeram os seus trabalhos numa curadoria de Pau Pascual, e aos músicos presentes (Generis, Dreaming of a Landscape e vários DJ’s).  “Estão, sem dúvida, a fazer história na oferta cultural da Madeira e eu sinto-me particularmente feliz por acompanhar este vosso percurso”, sublinhou.

None

Na ocasião, Filipa Jasmins Freitas aproveitou para agradecer às entidades que apoiam o projeto, nomeadamente a Secretaria Regional de Turismo e Cultura, a Câmara Municipal do Funchal e a Junta de Freguesia de São Martinho (apoio financeiros), a PATRIRAM, a Quinta Magnólia – Centro Cultural e a Delta Som (apoio logístico), e aos artistas que se associaram. “Que seja a primeira de muitas mostras”, disse ainda a diretora artística do projeto.

“Colours in The Dark” conta também com pequenos concertos e performances de vários artistas regionais. Na noite de sexta-feira atuou a banda Generis, ontem foi a vez dos Dreaming of a Landscape e hoje serão privilegiados os sons mais “chill out” com a presença de vários DJ’s.

A MOVE é uma associação cultural sem fins lucrativos dedicada à dinamização e integração, de espaços e públicos, através da arte.  Surgiu em 2008, como movimento artístico, e pela vontade de antigos alunos de artes da Universidade da Madeira, em dinamizar a cultura na cidade, através de diversas ações culturais, com o intuito de promover a intervenção e reflexão da obra no espaço urbano, catalisando expressões artísticas e contemporâneas. Nos últimos anos têm realizado diversos projetos pela ilha.

Em JM Artigo | 31/07/2023 18:10

https://www.jm-madeira.pt/palcos/ver/214190/DGArtes_Apenas_dois_projetos_artisticos_da_Madeira_propostos_para_apoio_na_area_da_Criacao

DGARTES: APENAS DOIS PROJETOS ARTÍSTICOS DA MADEIRA PROPOSTOS PARA APOIO NA ÁREA DA CRIAÇÃO

Redação/Lusa

A Direção-Geral das Artes (DGArtes) propõe atribuir financiamento a 210 candidaturas no Programa de Apoio a Projetos, na área da Criação, ou seja, um quarto dos 833 projetos que se candidataram, segundo os resultados provisórios divulgados esta segunda-feira.

Conforme referiu a DGArtes em comunicado, o financiamento estende-se a todas as regiões, prevendo-se o apoio a 76 projetos na Área Metropolitana de Lisboa, 65 no Norte, 49 no Centro, oito no Algarve, sete no Alentejo, três na Região Autónoma dos Açores e dois na Região Autónoma da Madeira. As candidaturas regionais propostas para apoios são ‘Livrai-nos da Guerra’ da associação Refrão Protagonista e ‘Festival da Luz – Colours in the Dark’ da associação Move.

A mesma fonte explica que 210 projetos artísticos são propostos para apoio, com um montante global de 5,25 milhões de euros e que cada um receberá um financiamento individual até 55.000 euros.

No entanto, a DGArtes reconhece também que houve um “aumento significativo do número de candidaturas neste concurso”, totalizando 833, o que significa que ficam de fora 623 candidaturas.

Dos 5,25 milhões de euros disponíveis, quatro milhões de euros destinam-se ao apoio a 160 projetos de artes performativas, nomeadamente na música (48), no teatro (43), na dança (14), na ópera (5) e nas artes circenses (4).

Na área de cruzamento disciplinar serão apoiados 44 projetos e nas artes de rua dois projetos.

Os restantes 1,25 milhões de euros destinam-se a 50 projetos nas áreas visuais, dos quais 35 de artes plásticas, cinco de novos media, cinco de fotografia, três de arquitetura e dois de design.

Os concursos de apoios a projetos – que contemplam programação, internacionalização, criação e procedimento simplificado – abriram a 29 de dezembro de 2022 e encerraram em fevereiro passado, com uma dotação total de 9,2 milhões de euros.

Na sexta-feira, a Plateia – Associação de Profissionais das Artes Cénicas criticou os atrasos da DGArtes em divulgar os resultados, considerando-os “incomportáveis” e que põem em causa a execução de projetos.

“Os atrasos na abertura e na divulgação de resultados dos concursos de Apoio às Artes pela DGArtes tornaram-se um problema crónico, que coloca em causa a execução dos projetos e suas atividades, defrauda expectativas dos candidatos e ameaça postos de trabalho”, referiu a associação em comunicado.

O prazo para apresentação de candidaturas terminou em 03 de fevereiro, estando os resultados a ser divulgados quando já se entrou no período de execução dos projetos, que é de 01 de junho de 2023 a 30 de novembro de 2024.

Na área do Procedimento Simplificado os resultados apontam para um apoio a 124 projetos artísticos, deixando de fora 240 candidaturas elegíveis, por se ter esgotado o montante global de 600 mil euros.

Na área da Programação, com 2,5 milhões de euros, foram propostas para apoio 92 candidaturas de um total de 383 consideradas válidas, o que representa um quarto dos concorrentes.

Em maio, a DGArtes divulgou os resultados na área da Internacionalização, que tinha 900 mil euros de dotação e abrangeu 80 candidaturas, menos de metade de um total de 176.


Clipping em Diário de Noticias 17 ago 2023 14:56

https://www.dnoticias.pt/2023/8/17/371894-quinta-magnolia-1a-mostra-de-instalacoes-artisticas-funchal-2023-a-25-de-agosto/https://www.dnoticias.pt/2023/8/17/371894-quinta-magnolia-1a-mostra-de-instalacoes-artisticas-funchal-2023-a-25-de-agosto/

5 SENTIDOSErica Franco 17 ago 2023 14:560

Quinta Magnólia 1.ª Mostra de Instalações Artísticas Funchal 2023 a 25 de Agosto

No próximo dia 25 de Agosto, pelas 20h30​, é inaugurada a 1ª Mostra de Instalações Artísticas Funchal 2023, Colours in the Dark, que terá lugar nos Jardins da Quinta Magnólia.

‘Colours in the Dark’ é um projecto em forma de mostra, com várias instalações de um colectivo de diferentes artistas plásticos e de vídeo e a sua ligação com a luz e a sombra, que pretendem dar a conhecer “novas formas de apresentar instalações de grande formato destinadas à valorização e fruição da expressão plástica”.

Esta mostra é constituída por cinco áreas de exposição e de instalações artísticas, que surgem depois num todo de composição visual no espaço, “brincando com a escala e a quietude do lugar onde se irá destacar a beleza da natureza usando a luz e diferentes formas de representação”, refere a organização na sua página de Facebook.

Os artistas convidados a participarem nesta mostra são: Hernando Urrutia, Evangelina Sirgado de Sousa, Diana Serrão, Filipa Jasmins Freitas e o projecto Glitch.

Foram também convidados a participar nesta primeira mostra os alunos do programa videográfico da Licenciatura em Artes Visuais DAD, da Universidade da Madeira, com curadoria do professor doutor Pau Pascual. São curtas-metragens e exercícios videográficos selevcionados e produzidos nas disciplinas de Vídeo.

‘Colours in The Dark’ acontecerá durante três dias, de 25 a 27 de Agosto, e contará ainda com pequenos concertos e performances de vários artistas regionais.

No dia 25 de Agosto, há actuação ao vivo da banda Generis. Já a 26 estarão nos jardins da Quinta Mágnolia os Dreaming of a Landscape. Por último, np dia 27 de Agosto, exsitirá área com os sons mais “chill out”, com a presença de vários DJ’s.

Todos as actuacções acontecem sempre entre as 20 e as 23 horas.  


DNoticias – Projeto Flowers of War – Direção Criativa de Filipa Jasmins Freitas
DNoticias – Projeto Flowers of War – Direção Criativa Filipa Jasmins Freitas

DNoticias – Exposição ARTWALK – Direção Artística de Sofia Fernandes

JMadeira 03/07/2022


Projeto VISÔES – Direção Artistica de Filipa Jasmins Freitas

Cartaz Exposição Inaugural MOVE

Exposição Inaugural MOVE

Projects

25 a 27 de AGOSTO 2023_ Jardins da Quinta Magnólia

COLOURS IN THE DARK
Direção Produção- MOVE – Associação Cultural, Criativa e Artística da Madeira
Direção Criativa – Filipa Jasmins Freitas

Artistas Convidados
Hernando Urrutia
Evangelina Sirgado de Sousa
Diana Serrão
Filipa Jasmins Freitas

Glitch Visual Artists
UMa – Departamento de Arte e Design – Coordenação Pascual Galbis com trabalhos de alunos da Licenciatura em Artes Visuais DAD

Apoio Financeiro
SRTC – Direção Regional da Cultura
Câmara Municipal do Funchal
Junta de Freguesia de S. Martinho

Parceiros Logísticos
PATRIRAM
Quinta Magnólia – Centro Cultural
Delta Som – Eventos e Audiovisuais

CONCEITO
Este projeto em forma demostra, com várias Instalações de um coletivo de vários artistas plásticos e de vídeo e a sua ligação com a luz e a sombra. Colours in the Dark é criada para mostrar novas formas de apresentar instalações de grande formato destinadas à valorização e fruição da expressão plástica.


O QUE É
É uma mostra de Instalações artísticas de Luz e Vídeo de um coletivo de artistas que irá decorrer durante três dias, no espaço público.


OBJECTIVOS
Promover os artistas regionais e dinamizar projetos artísticos na Região da Madeira.
Contribuir para a afirmação do Funchal como cidade das artes na região, estabelecendo oportunidades de fruição da população para novas formas artísticas.
Dinamizar o espaço público, diferenciar a oferta cultural no que se refere às artes performativas e visuais.
Trata-se da ocupação de um espaço público com árvores e jardins onde serão criadas zonas específicas com instalações e performances.
É um projeto constituído por 5 áreas, de exposição e de instalações artísticas distintas,
que surgem depois num todo de composição visual no espaço, brincando com a escala e a
quietude do lugar onde se irá destacar a beleza da natureza usando a luz e diferentes formas de representação.
Os artistas convidados a participarem nesta mostra tem um percurso artístico diversificado. Hernando Urrutia, Evangelina Sirgado de Sousa, Diana Serrão e Filipa Jasmins Freitas e Glitch Visual Artists, artistas que irão desenvolver os seus trabalhos, numa perspetiva de interação com o público, desenvolvendo competências na área tecnológica de forma a captar a participação e atenção dos visitantes, para uma nova forma de apresentação de arte no espaço publico.
Como forma de incentivar e dar a conhecer a criação artística e também o ensino das Artes na Madeira, foram convidados a participarem nesta primeira mostra alunos do programa
videográfico da Licenciatura em Artes Visuais DAD (Universidade da Madeira) com curadoria do professor doutor Pau Pascual. São curtas-metragens e exercícios videográficos selecionados e produzidos nas disciplinas de Vídeo, da Universidade da Madeira.



Instalação FLOWERS OF WAR

A associação Move – Associação Cultural, Criativa e Artística da Madeira apresenta o projeto criativo FLOWERS OF WAR, com inauguração no próximo dia 28 de abril, às 16 horas, no cruzamento da Praceta Padre Gabriel Olávo Garcês, na cidade de Santa Cruz.

Com produção da MOVE e direção criativa de Filipa Jasmins Freitas, este projeto foi idealizado através de um desafio criativo proposto pelo Município de Santa Cruz e o seu departamento de cultura, para ser mostrado ao público, durante as festividades da semana Santa Cruz Em Flor.

FLOWERS OF WAR tem como principal objetivo, permitir a reflexão e o despertar de um pensamento mais crítico das ações humanas. Esta é uma forma de fazer lembrar todos os que sofrem com as guerras, passadas e presentes, e como as suas vidas se transformaram apanhadas pelas vontades e caprichos sem sentido. Não podemos deixar que o sentimento de indiferença de uma guerra distante, se instale, que se torne uma banalização do sentido da vida, e que se deixe de ter compaixão pelo próximo, mesmo que estejamos a milhares de quilómetros de distância.

A diretora criativa, Filipa Jasmins Freitas, inspira-se na antologia “Quando a primavera chegar – 10 poemas de guerra, com cunho da Casa Fernando Pessoa, que publica poesia ucraniana durante a guerra, traduzida por poetas portugueses e que se pensa na Primavera e na guerra para criar vários contos.

Outra inspiração para a forma da instalação é a simbologia presente na utilização de fitas de cores distintas. As Fitas da Consciência ou Laço Solidário, são símbolos destinados a mostrar apoio ou aumentar a consciência por uma causa. Cores e padrões diferentes estão associados a diferentes problemas. Em FLOWERS OF WAR as cores isoladas têm significados e leituras simbólicas diferentes, e no conjunto as mais visíveis são as cores da bandeira da Região Autónoma da Madeira, o azul e o amarelo, associando outras de conotação simbólica e de uso político, que inclui fitas laranja usadas na Revolução Laranja, na Ucrânia, e as fitas amarelas que nos Estados Unidos são usadas para mostrar que um familiar próximo está no exterior no serviço militar.

Em termos formais esta é uma estrutura com altura de 4m, estando as fitas a 2,50m de altura, com um formato circular de uma flor, com corpo central e pétalas à volta (vista do chão, olhando para cima).

“Pretendo que FLOWERS OF WAR seja o despertar de emoções, através de uma estrutura contruída no espaço público, com movimento de pessoas e que elas possam participar, observar, refletir e interagir com a instalação, colocando-se por debaixo da estrutura, olhando para cima, para o céu, e vendo todo o movimento nas fitas, proporcionado pela ação do vento, ora mais suave ora mais forte, criando a ilusão de estarmos entre o terrestre e o divino.”

Filipa Jasmins Freitas

Informação sobre o evento:

É uma exposição de entrada livre

Calendarização:

De 28 abril a 28 de maio de 2023 – Santa Cruz

Este projeto tem produção:

Move – Associação Cultural, Criativa e Artística da Madeira

Direção Criativa: Filipa Jasmins Freitas

Apoio Principal

Camara Municipal de Santa Cruz

Apoio Logístico

Madeira Polivalente – Estruturas Metálicas

Câmara Municipal de Santa Cruz



ARTWALK

No âmbito do protocolo de cooperação cultural celebrado entre a Secretaria Regional de Turismo e Cultura através da Direção Regional da Cultura e a MOVE, a associação apresenta 𝐀𝐑𝐓𝐖𝐀𝐋𝐊, uma exposição itinerante, em homenagem ao escultor Maurício Fernandes, que irá percorrer oito concelhos da Madeira, até dezembro de 2023.

A MOVE – Associação Cultural, Criativa e Artística da Madeira apresenta o projeto ARTWALK, que sai à rua pela primeira vez com uma homenagem ao escultor Maurício Fernandes. Uma estreia que vai acontecer no dia em que se comemora a data do seu nascimento, 𝟐𝟐 𝐝𝐞 𝐬𝐞𝐭𝐞𝐦𝐛𝐫𝐨, 𝐚̀𝐬 𝟏𝟖 𝐡𝐨𝐫𝐚𝐬, 𝐧𝐚 𝐛𝐢𝐛𝐥𝐢𝐨𝐭𝐞𝐜𝐚 𝐦𝐮𝐧𝐢𝐜𝐢𝐩𝐚𝐥 𝐝𝐨 𝐜𝐨𝐧𝐜𝐞𝐥𝐡𝐨 𝐝𝐞 𝐒𝐚̃𝐨 𝐕𝐢𝐜𝐞𝐧𝐭𝐞.

O projeto ARTWALK tem como principal objetivo, nesta primeira mostra, homenagear o escultor Maurício Fernandes, pelo seu percurso e contributo para o desenvolvimento da cultura e arte regional, principalmente na área do design.

Com produção da MOVE e direção artística de Sofia Fernandes, este projeto é apoiado financeiramente pela Secretaria Regional do Turismo e Cultura.

O convite foi feito a vários artistas e criativos de diferentes áreas de expressão, a participarem nesta homenagem, que de algum modo tiveram contacto com o escultor Maurício Fernandes, quer porque foram seus colegas, amigos ou alunos.

Esta primeira mostra da ARTWALK conta com a participação dos artistas: 𝑪𝒂𝒓𝒍𝒐𝒔 𝑪𝒐𝒔𝒕𝒂, 𝑬𝒖𝒓𝒊𝒄𝒐 𝑺𝒂𝒏𝒕𝒐𝒔, 𝑬𝒗𝒂𝒏𝒈𝒆𝒍𝒊𝒏𝒂 𝑺𝒊𝒓𝒈𝒂𝒅𝒐 𝒅𝒆 𝑺𝒐𝒖𝒔𝒂, 𝑭𝒊𝒍𝒊𝒑𝒆 𝑨𝒏𝒕𝒐́𝒏𝒊𝒐, 𝑮𝒓𝒂𝒄̧𝒂 𝑩𝒆𝒓𝒊𝒎𝒃𝒂𝒖, 𝑮𝒖𝒊𝒍𝒉𝒆𝒓𝒎𝒆 𝑭𝒆𝒓𝒏𝒂𝒏𝒅𝒆𝒔, 𝑳𝒖𝒊́𝒔 𝑭𝒊𝒍𝒊𝒑𝒆, 𝑴𝒂𝒇𝒂𝒍𝒅𝒂 𝑮𝒐𝒏𝒄̧𝒂𝒍𝒗𝒆𝒔, 𝑹𝒊𝒄𝒂𝒓𝒅𝒐 𝑺𝒐𝒖𝒔𝒂, 𝑹𝒊𝒄𝒂𝒓𝒅𝒐 𝑽𝒆𝒍𝒐𝒛𝒂, 𝑹𝒊𝒕𝒂 𝑹𝒐𝒅𝒓𝒊𝒈𝒖𝒆𝒔 𝒆 𝑻𝒆𝒓𝒆𝒔𝒂 𝑱𝒂𝒓𝒅𝒊𝒎.

Associada à instalação artística que vai marcar a sua presença ao público em vários concelhos da RAM – Região Autónoma da Madeira, estará igualmente aberta ao público uma exposição de vários trabalhos realizados pelo escultor Maurício Fernandes, nos diversos núcleos culturais de cada um dos concelhos, por onde esta mostra irá passar.

Entrada é livre.

Calendarização das exposições:

De 22 setembro a 31 de outubro de 2022 – S. Vicente

De 4 novembro a 31 de dezembro de 2022 – Santana

De 10 de janeiro a 17 de fevereiro de 2023 – Machico (Solar do Ribeirinho)

De 1 de abril a 1 de maio de 2023 – Porto Moniz (Centro de Ciência Viva)

De 7 de maio a 16 de junho de 2023 – Porto Santo

De 25 de junho a 25 de agosto de 2023 – Santa Cruz (Casa da Cultura – Quinta do Revoredo)

De 22 de setembro a 31 de dezembro de 2023 – Funchal (Quinta Magnólia – Centro Cultural)

Este projeto tem produção:

Move – Associação Cultural e Artística da Madeira 

Direção artística: Sofia Fernandes

Apoio Principal

Secretaria Regional da Cultura e Turismo

Direção Regional da Cultura

Apoio Logístico

Câmara Municipal de S. Vicente

Câmara Municipal de Machico

Câmara Municipal de Santa Cruz

Câmara Municipal do Porto Moniz

Câmara Municipal de Santana

Câmara Municipal de Porto Santo

Quinta Magnólia – Centro Cultural

EN